domingo, abril 03, 2016

A aventura de Kyle Craft

Diz a biografia oficial que Kyle Craft cresceu numa pequena cidade do estado da Louisiana, nas margens do Mississipi, mais interessado em crocodilos e cobras do que em jogar futebol ou tocar guitarra... Até que um dia, numa visita ao K-Mart da zona, comprou uma antologia de sucessos de um tal David Bowie...
São elementos capazes de iniciar uma aventura edificante, evoluindo da banalidade à consagração mitológica. Enfim, é cedo para tão drásticas extrapolações, mas registemos o jovem Craft como um dos acontecimentos mais gloriosos da primeira metade deste ano musical. O seu álbum de estreia, produzido por Brandon Summers e Benjamin Weikel (a dupla de The Helio Sequence), chama-se Dolls of Highland e revela uma pose que, além do mais, não é estranha a uma voz da família da de Bob Dylan. Em todo o caso, evitemos a facilidade das cauções mais ou menos simplistas. Este é um fenómeno a que reconhecemos, de imediato, as singularidades de um genuíno poeta da fragilidade humana e, em particular, das ilusões amorosas. Duas provas, para já: o som encantatório de Lady of the Ark (além do mais, com um trabalho instrumental de surpreendente tradicionalismo) e uma interpretação de Future Mid-City Massacre num registo na rádio KXLU, de Los Angeles.